Notícias

“Podemos estar completas sem companhia ou sem um filho”, diz Jennifer Aniston

Jennifer aniston capa site

A atriz falou o que sofreu da imprensa por ser uma mulher em Hollywood que não teve filhos.

Jennifer Aniston é uma das atrizes mais famosas do mundo, mas isso não a livrou de críticas por suas decisões em âmbito pessoal. Por anos a mídia e o público lhe perguntaram o porquê de não ter filhos, mesmo em dois divórcios com ampla cobertura pela imprensa.

Depois dessas experiências nada agradáveis, Jennifer se dedicou a defender mulheres em todos os lugares, rebatendo os comentários sexistas que recebia constantemente, que tentaram ofuscar sua carreira de enorme sucesso. Ao site Hollywood Reporter, a atriz explica por que as mulheres deveriam parar de ser assediadas por sua posição pessoal sobre a maternidade e como a obsessão dos tabloides por seus planos familiares foi incrivelmente prejudicial para ela.

A atriz disse que, no começo dos assédios da mídia, ela costumava levar todos os rumores sobre sua posição sobre a maternidade para o lado pessoal. Todas as fofocas sobre possíveis gestações e as críticas por ela supostamente escolher a carreira ao invés de ter filhos a atingiam de forma muito pessoal. Aniston pensava que não havia como a imprensa saber o que de fato acontecia em sua vida, se ela tinha ou não problema para engravidar, por isso os comentários eram tão dolorosos.

Aniston nunca foi de ficar quieta quando se tratava de falar sobre os direitos das mulheres e, dadas as suas experiências, podemos entender o porquê. Apesar de todas as dificuldades e mágoas, ela mantém um senso de humor quando se trata do assunto altamente emocional. Brinca que deixou de lado o hábito de acompanhar o que os tabloides diziam sobre ela, mas tinha certeza de que, mesmo agora sendo uma mulher com mais de 50 anos, ainda existiriam rumores sobre uma possível gravidez sua. Aniston faz piada, dizendo que de acordo com os rumores, ela teria uma gestação rara para sua idade.

Aniston percebeu também que sua situação, embora compartilhada por várias outras atrizes, não é a mesma de todas as mulheres na indústria do entretenimento, e cita a cantora country Dolly Parton, que também nunca teve filhos, mas isso não era cobrado dela pela imprensa, Jennifer observava.

Depois de seu divórcio com Brad Pitt, em 2005, altamente coberto pela mídia, Aniston se viu cercada por um julgamento implacável, principalmente em torno de sua decisão de começar uma família com ele. A mídia foi rápida em gerar a narrativa de que Aniston se recusou a ter filhos por estar focada em sua carreira. O pobre Pitt, então, foi forçado a encontrar outra mulher que estivesse disposta a ter filhos, neste caso, Angelina Jolie. Uma narrativa falsa e misógina.

Em sua primeira entrevista desde a separação, à Vanity Fair, em 2006, a atriz descreveu a situação, a forma como a imprensa lidou com sua separação, como algo que a deixou extremamente chateada. Ela fez uma comparação, à época, dizendo que um homem que se divorciasse jamais seria acusado de escolher a carreira em detrimento dos filhos. Aniston disse que nunca foi contra a ideia de ter filhos, pois não achava que ter uma família limitava sua carreira. Ela disse, à época, que não escolheu não ter filhos por privilegiar sua carreira.

Anos mais tarde, Aniston se casou com o ator Justin Theroux, em 2015, do qual se divorciou em 2018. Durante o casamento, a atriz se viu diante do mesmo julgamento midiático. Tantos anos sofrendo com isso a deixaram exausta, levando-a a escrever um artigo para o site HuffPost, em 2016, para recuperar a narrativa da sua história.

Ela citou mais uma vez, agora de forma direta e clara, o quanto os tabloides pareciam se desdobrar para tentar descobrir possíveis gestações suas — pela bilionésima vez, ela acrescentou — e como isso apontava para o quão insatisfeita a sociedade ficava ao ver mulheres fora de casamentos ou sem filhos.

Ela abordou os padrões culturais “deformados” que nossa sociedade mantém quando se trata de mulheres e como seu valor foi calculado historicamente e como ela queria se ver livre disso. Aniston concluiu sua reflexão dizendo que era possível para mulheres estarem completas, mesmo se não estivessem em relacionamentos amorosos ou se não tivessem filhos. Cada uma pode decidir por si o que e como viver. Esta decisão cabe às mulheres, apenas a elas.
A atriz não poderia estar mais certa!

Imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Depositphotos

0 %