Notícias

Vídeo mostra babá sendo agredida por patroa antes de pular de prédio

Imagens de uma câmera de segurança conseguiram flagrar o momento em que a babá Raiana Ribeiro, de 25 anos, é agredida pela patroa Melina Esteves França.



A cena registrada ocorreu momentos antes de a funcionária pular do 3º andar de um prédio em Salvador (BA), na tentativa de fugir de outras agressões.

Melina França é investigada por violência doméstica contra outras 12 ex-funcionárias. De acordo com o G1, a Polícia Civil informou que analisa todos os casos, mas que não pode fornecer informações, para não atrapalhar as apurações.

Na quarta-feira (1º/9), o advogado de defesa de Melina desistiu do caso.


No vídeo, é possível ver a patroa agredindo Raiana Ribeiro com tapas e socos. O advogado da vítima, Bruno Oliveira, confirmou as informações na tarde desta quinta-feira (2/9).

A babá aparece, nas imagens, sentada em um sofá, com a filha de Melina França no colo. Depois de ordenar que a funcionária entregue a criança para outra mulher, a agressora começa a agredir Raiana.

A patroa bate com as duas mãos nas costas da babá, que tenta se defender. Também é possível escutar Melina perguntando se a vítima acha certo o que ela estava fazendo, enquanto bate na cabeça de Raiana. A ex-patroa também pede respeito e chama a vítima de horrorosa.

Está disponível, abaixo, a gravação da câmera de segurança que flagra o momento da agressão.


Relembre a história

Raiane Ribeiro cuidava de três crianças em um apartamento em Salvador. Ela teria pedido demissão e foi supostamente impedida de deixar o local pela patroa.

De acordo com o relato da vítima, ela estaria sendo mantida em cárcere privado depois do pedido de demissão. Melina França não teria concordado com a saída dela, por isso a trancou em um banheiro.


Fraturas e escoriações

A babá ainda relatou que sofreu agressões físicas e ameaças, e contou que decidiu pular pela janela do banheiro do apartamento para fugir da situação. A mulher teria batido no parapeito do 2º andar antes de atingir o solo. A vítima teve fraturas nas pernas e escoriações pelo corpo e rosto.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu inquérito e está acompanhando os depoimentos do caso à polícia. O órgão também informou que vai apurar se houve maus-tratos e cárcere privado.

A Superintendência Regional do Trabalho da Bahia (SRT-BA) deve analisar os documentos e evidências para apontar os detalhes da relação de trabalho e das condições de tratamento dispensadas à empregada.


Outras 12 ex-funcionárias de Melina Esteves França a denunciaram para a polícia por agressões e ameaças, da mesma maneira que Raiana Ribeiro havia alegado.

Diabetes, depressão, asma: conheça o exercício ideal para tratar doenças

Artigo Anterior

Ator de “Ana e o rei” doará fortuna estimada em 4 bilhões para instituições de caridade

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.