Oração

Oração de São Bento: “A Cruz Sagrada seja a minha luz, não seja o dragão meu guia”

São Bento é fonte inesgotável de inspiração, através de sua história descobrimos o verdadeiro significado da devoção e da importância da fé em nossas vidas.



São Bento se tornou um dos santos mais populares no mundo desde que sua famosa medalhinha passou a ser um item indispensável para todos os seus milhares de devotos.

Mas sua fama também se deve à sua inspiradora trajetória de vida. Toda essa veneração faz jus a um santo que desde sempre zela por cada um daqueles que buscam seu auxílio. Ele foi um homem de muita fé e dotado de uma sabedoria tão grande quanto seu amor por nosso Senhor.

Sua história começa em Úmbria, na Itália, no ano de 480, um período crítico, em que o Império Romano se viu abalado pela maldade e pelo caos gerados pelas invasões bárbaras. Foi uma época em que a fome e as doenças atingiram muitos povos, e os valores da fé foram praticamente esquecidos em muitas regiões.

Mesmo em meio a tantos conflitos, o jovem Bento foi enviado a Roma para estudar Filosofia. Lá, no entanto, ele se desiludiu ao ver que a cidade também estava tomada pelos pecados e decadência moral.


De origem nobre, ele optou por renunciar a todas as riquezas de sua família para se dedicar ao ofício da fé. Levando uma vida humilde e reclusa, passou a se dedicar ao estudo da Bíblia e do cristianismo, inicialmente, na região de Affile e, depois de um tempo, já aos 20 anos, isolou-se numa gruta do monte Subiaco, sob orientação espiritual de um velho monge da região chamado Romano.

No local, ele viveu por três anos, dedicando-se exclusivamente à oração e ao aprimoramento dos seus conhecimentos sobre a fé cristã.


Alimentando-se com os poucos mantimentos fornecidos pelo monge, logo sua história ficou conhecida na região e Bento passou a receber visitas de pastores e outros cristãos em busca de conselho, e ficavam impressionados com seu comprometimento.

Devido à fama de santidade, que foi crescendo com o passar dos anos, Bento saiu da gruta perto de completar 40 anos e foi aclamado abade no convento de Vicovaro. Mas ele não se adaptou à vida que os monges levavam no convento. Para Bento, era mais importante uma entrega total à vida de caridade, de renúncia a todo e qualquer tipo de luxo do que a que os monges exaltavam.

Devido ao seu posicionamento, ele atraiu inimigos que tentaram matá-lo envenenado, durante sua estada no convento. No entanto, quando Bento abençoou a taça de vinho envenenada, como fazia com todos os alimentos que comia, o vinho evaporou-se.

Bento então renunciou ao cargo de abade e voltou para Subiaco, retomando a vida de eremita, mas continuou atraindo muitos discípulos. Em Roma, ele fundou o que viria a ser o maior centro de vida beneditina de todos os tempos, o Mosteiro de Monte Cassino, atraindo milhares de pessoas para seguir uma vida em santidade.


Ao longo de sua história, Bento fundou doze mosteiros, onde ensinava os jovens a seguir a famosa “Regra de São Bento”.

Também conhecido como a Regula Monasteriorum, o livro de 73 capítulos descreve todas as regras para a vida monástica em comunidade. Nela, são ensinadas a importância do silêncio, da oração, do trabalho, do recolhimento, da caridade fraterna e da obediência. Foi sob essa regra que nasceu e tomou forma a Ordem dos Beneditinos ou Ordem de São Bento, atuante até hoje.

Bento faleceu em 547, aos 67 anos, mas sua mensagem de fé, amor e esperança continua viva até hoje. Suas lições são muito atuais, uma vez que somos tentados todos os dias.


Tais forças do inimigo são capazes de nos afastar de Deus e afundar nossas vidas na tristeza e na desesperança. Graças à grande sabedoria que adquiriu, em seus ensinamentos, Bento explicava que havia três brechas por onde o Inimigo pode entrar em nosso coração.

Para ele, a vaidade é a primeira. Vaidade pode ser entendida com a nossa necessidade de ser reconhecido e amado de forma desmedida. A segunda brecha é o orgulho, que nos faz achar que não precisamos do auxílio de Deus, e a terceira é a cobiça aos bens materiais.

Para combater todo esse mal que nos tenta a seguir um caminho longe de Deus, devemos nos apegar a esta poderosa oração, ela reúne palavras de conforto, mas também expressiva proteção contra tudo aquilo que quer abalar nossa fé.

Oração de São Bento

A Cruz Sagrada seja a minha luz, não seja o dragão meu guia. Retira-te, satanás, nunca me aconselhes coisas vãs. É mau o que tu me ofereces, bebe tu mesmo o teu veneno! Ó glorioso São Bento, que sempre se mostrou compassivo com os necessitados, fazei que também nós, recorrendo à Vossa poderosa intercessão, obtenhamos auxílio em todas as nossas aflições.

Que em nossas famílias reine a paz e a tranquilidade, que se afastem todas as desgraças, sejam corporais, temporais ou espirituais, especialmente o pecado. Alcançai, São Bento, do Senhor Deus Onipotente, a graça de que necessitamos: (peça a graça necessária)

São Bento, dai-nos a graça de que, ao terminar nossa vida neste vale de lágrimas, possamos ir louvar a Deus convosco no Paraíso. Rogai por nós, ó glorioso patriarca São Bento, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

São Bento, libertai-nos do mal!

São Bento, libertai-nos da inveja!

São Bento, libertai-nos do medo!

São Bento, libertai-nos do pecado!

Amém!

O que você achou desta oração?

Compartilhe-a nas suas redes sociais.

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

7 fatos que a maioria das mulheres não sabem sobre os homens

Artigo Anterior

Não deixe que abusem da sua boa vontade, ninguém nasceu para ser saco de pancada!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.