Carta ao meu pai, o homem que me criou, mas não me quis

5min. de leitura

Leia abaixo a carta de um filho ao seu pai que não o quis.



“Pai, eu não sei qual é o seu nome e há muito tempo já desistir de descobrir. Hoje eu lhe escrevo esta carta não para reprovar sua atitude de ter deixado minha mãe sozinha comigo desde o começo, nem para culpá-lo pelo abandono e falta de amor paterno, mas para agradecê-lo por ter me ajudado a me tornar uma pessoa forte. Por me proporcionar todas as condições necessárias para me tornar uma pessoa perdida e sem esperança na vida, porque agora eu posso mostrar a educação que recebi de minha mãe e todo o meu valor enquanto pessoa.

Eu não o considero um pai péssimo ou horrível, porque para poder concluir isso, você deveria estar presente em minha vida, o que nunca aconteceu. Portanto, para mim você é apenas indiferente, inexistente. No entanto, mesmo sem você estar  ao meu lado, eu não fiquei sem uma figura paterna em minha vida, porque meu avô esteve sempre comigo.

Ele fez o seu papel. Ajudou a me cuidar, ensinou-me a andar de bicicleta, fez meus lanches, cuidou dos meus machucados e me ensinou muita do que eu sei hoje, porque para ele isso nunca foi um sacrifício, mas um prazer, um benefício inegociável.


Quero lhe agradecer, pai, por nunca estar presente para mim, porque pude aprender minhas habilidades de conquista, minha força e minha autonomia para realizar os meus próprios sonhos.

Apesar de ter sofrido por muitos anos sem entender porque não tinha um pai, eu descobri muito sobre mim mesmo e conquistei muitas coisas. Fui para o meu primeiro dia de escola sem um pai, formei-me no ensino médio sem você, e agora, já na faculdade, estou começando a colher os frutos positivos do meu próprio esforço.

Sim, você deveria ter sido uma das pessoas mais importantes da minha vida, mas a sua ausência não me prejudicou, porque eu tive muitas outras pessoas ao meu lado, pessoas que me amam, e também a melhor mãe do mundo, que se doou além dos limites para mim, mas nunca reclamou por isso.

Mesmo sem conhecê-lo, você é um grande parâmetro para mim. Eu penso em seu papel em minha vida como exatamente o contrário do que eu quero ser quando tiver minha própria família, meus próprios filhos.


Apesar de tudo isso, eu o perdoo pai, porque vivo minha vida voltado para frente e conservando apenas coisas positivas ao meu redor e dentro de mim.

As lições que aprendi em sua ausência sempre me acompanharão. Hoje eu sei como família nem sempre é tão importante quanto deveria, e como pessoas que conhecemos aleatoriamente podem ganhar nosso amor muito mais fácil do que alguém que está dentro de nossas casas.

Eu vivo sem reclamar, porque sei que existe um propósito para minha vida, que vai muito além de que posso imaginar.

Do jeito que eu enxergo a vida, você foi apenas uma pessoa em meu caminho. Alguém que não teve a intenção de permanecer, ainda que tivesse um papel fundamental. Mesmo assim, espero que viva feliz com sua escolha. Feliz como eu sou.

Sinceramente, seu filho.”

Essa é uma carta emocionante, que mostra como a presença de um pai é importante na vida de seus filhos, assim como a da mãe. Essas duas pessoas são fundamentais para nós durante todas as nossas vidas, mas mesmo sem elas, podemos ser felizes e bem-sucedidos na vida. Afinal, nunca estamos totalmente sozinhos.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: nikkytok / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.