5min. de leitura

O papel das avós na evolução humana é incontestável e a ciência confirma

Elas são fundamentais não apenas para cada um de seus netos, mas para a evolução da nossa espécie, e isso foi confirmado pela ciência.


É muito difícil encontrar uma pessoa que não seja apegada com pelo menos alguma de suas avós, essas mulheres costumam ser as maiores ajudantes das mães na hora de criar os seus filhos e estão conosco desde a infância até a vida adulta.

Nossas avós nos ensinam muitas coisas: valores, sentimentos, comportamentos, culinária, limpeza, organização e também nos fazem sentir muito especiais e amados. Elas são fundamentais não apenas para cada um de seus netos, mas para a evolução da nossa espécie, e isso foi confirmado pela ciência. Entenda melhor no texto abaixo.

O que aconteceria se não houvesse a menopausa?

Uma curiosidade de muitos antropólogos e biólogos evolucionários que por muito tempo ficou sem explicação foi a existência da menopausa. Evolutivamente falando, não faz muito sentido as mulheres pararem de ter filhos em uma idade não tão tardia, além disso, essa é uma característica presente apenas nos humanos.


No entanto, um estudo recente parece responder a essa pergunta associando a menopausa à necessidade de uma mulher de se tornar avó, e explica como esse processo tornou as mulheres essenciais para a evolução humana.

O estudo, que foi publicado na revista Proceedings, da Royal Society B, tem a hipótese de que “a avó foi o passo inicial para nos tornarmos quem somos”. A principal autora do estudo, Kristen Hawkes, antropóloga da Universidade de Utah (EUA), ressalta a importância das avós na sociedade, dizendo que elas são as responsáveis por nos ajudar a desenvolver “toda uma gama de capacidades sociais que são a base para a evolução de outras características distintamente humanas, incluindo a união de pares, cérebros maiores, aprendendo novas habilidades e nossa tendência para a cooperação”.

Com os seus parceiros no estudo, James Coxworth, antropólogo de Utah, e Peter Kim, biólogo e matemático da Universidade de Sydney, Kristen realizou simulações de computador para comprovar a sua hipótese. A simulação dos pesquisadores tinha como objetivo compreender o que aconteceria se a menopausa e as avós fossem introduzidas em uma espécie primata hipotética.


As vantagens de ter as avós por perto são infinitas, elas apoiam as mães e as crianças, ajudam na educação e trazem mais segurança para que as mães tenham outros filhos.

Se a menopausa não existisse, as avós poderiam continuar tendo filhos e não auxiliariam os netos da mesma maneira, o que deixaria cada criança dependente apenas da própria mãe para sobreviver.

Evolutivamente falando, o trabalho das avós é aumentar a taxa de sobrevivência das crianças, ao invés de continuar se reproduzindo.

Kristen diz que as avós e seus papéis sociais também podem ter sido fundamentais para algumas características evolutivas dos humanos, como um cérebro maior: “A avó nos deu o tipo de educação que nos tornou mais dependentes um do outro socialmente e propensos a atrair a atenção um do outro.” Acredita-se que essa tendência impulsionou o aumento do tamanho do cérebro, assim como a menopausa e expectativa maior de vida.

Nossas avós são realmente incríveis, evolutivamente ou não, elas sempre contribuem para que sejamos pessoas melhores e evoluamos a cada dia.

Tire um tempinho do seu dia para agradecê-la por tudo o que sempre fez por você e compartilhe este artigo com ela!

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais da imagem de capa: Pixar.


Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.