Prevista para setembro, vacina contra covid-19 entra em última fase de testes

4min. de leitura

Já na primeira fase de testes, realizados na Rússia, 38 voluntários que tomaram a vacina começaram a produzir anticorpos contra o vírus causador da doença.



A notícia que muitas pessoas no mundo esperam, há meses, está cada vez mais próxima de se tornar realidade. A vacina contra a covid-19 deve começar a ser produzida em setembro.

A doença que já matou mais de 578 mil pessoas e infectou mais de 13 milhões no mundo todo é causada pelo novo coronavírus, um vírus até então desconhecido pela comunidade científica. Contudo, a Rússia anunciou que concluiu a primeira fase de testes de uma vacina contra esse mal.

O país saiu na frente nas pesquisas, pois iniciou os trabalhos ainda em junho, durante um dos períodos mais críticos da pandemia até agora. A primeira fase de testes já foi concluída e os resultados, satisfatórios. Para a pesquisa, os cientistas da Universidade Sechenov reuniram 38 voluntários remunerados e os colocaram em isolamento desde o dia 18 de junho, quando lhes foram aplicadas as primeiras doses.


A intenção do estudo foi protegê-los de outras possíveis infecções, daí a necessidade do isolamento, porém parte deles já receberam alta.

Os voluntários, entre 18 e 65 anos, serão monitorados por mais seis meses, contudo, os primeiros testes já confirmaram a segurança da vacina, pois começaram a produzir anticorpos contra a doença.

Ainda serão necessárias mais duas rodadas de testes, mas o clima de otimismo já vem tomando conta dos pesquisadores.

A próxima fase de testes deve ocorrer em 28 de julho, quando os mesmos voluntários receberão a segunda dose do medicamento.


Segundo o diretor do Instituto Gamaleya de Pesquisa Científica de Epidemiologia, Alexander Gintsburg, em entrevista à agência russa Ria Novosti, os resultados da segunda vacinação levarão em conta o nível de anticorpos. Se o número continuar sendo positivo, isso comprova a eficiência da vacina.

Já na etapa final dos testes, que deve ocorrer em 14 e 15 de agosto, uma pequena quantidade a mais de doses da vacina deve ser disponibilizada para mais pessoas, que também ficarão sob observação.

Caso os resultados continuem sendo favoráveis, as empresas já poderão começar a produzir a vacina em setembro, aponta o pesquisador.

Atualmente, a Rússia está trabalhando em 17 vacinas contra a covid-19. Por todo o mundo, só outras duas estão em testes finais da fase 3: uma da chinesa Sinopharm e outra da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, que tem testes sendo feitos no Brasil.

Vamos torcer para que todas as pesquisas cheguem a um melhor resultado!

Não há dúvidas de que a descoberta dessa vacina nos dá esperança de que, ainda neste ano, nossa vida poderá voltar à normalidade. A pandemia mudou a rotina das grandes cidades, fez do distanciamento a regra e mostrou o quanto somos vulneráveis a este inimigo invisível.

Mas, em breve, poderemos olhar para trás e ter a certeza de que essa pandemia devastadora ficou no passado. Tenhamos fé!

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.