publicidade

Pai que ia a pé atrás de internet ganha banda larga, celular e computador para a filha estudar

Depois de buscar atividades da filha na escola, onde havia sinal de internet, Edilson Rosário ainda ajudava a menina a resolver as atividades através de um celular com tela quebrada.



A pandemia tornou ainda mais difícil a vida de quem já levava uma rotina complicada, como é a realidade do tratador de cavalo Edilson Rosário da Silva e sua filha Nataly Santos da Silva, 11 anos, que moram em Arujá, no interior de São Paulo.

Com as aulas presenciais da pequena suspensas e sem ter como pagar internet, Edilson ia três vezes por semana, a pé, à escola da filha, atrás de um sinal de internet. Apesar da rotina exaustiva de trabalho seguida da longa caminhada, o trabalhador nunca mediu esforços para garantir os estudos da filha.

Se esse exemplo por si só já motivo de inspiração qualquer pessoa, você vai ficar ainda mais feliz quando descobrir o final dessa linda história de superação.

Tudo mudou depois que o relato de Edilson e Nataly foi tema de reportagem do Jornal Nacional, o telejornal mais bem conceituado e assistido do país. À reportagem, o tratador de cavalos lamentou que desde o início da pandemia houve enorme queda na demanda de serviços no rancho que ele administra.


Com o dinheiro curto, faltaram recursos para bancar internet, o que permitiria à pequena acompanhar as aulas a distância. Ele cria Nataly sozinho desde que ficou viúvo.

Mas como todo bom brasileiro, ele não se deixou abater e encontrou uma solução prática, mas exaustiva. Após os seus afazeres, três vezes por semana, ele enfrentava duas horas de caminhada – ida e volta – até a escola, para baixar os materiais da filha. De volta ao lar, os desafios continuavam. O paizão, que só estudou até a 4ª série, transforma-se em professor para ajudar Nataly a resolver suas atividades, enquanto ela estuda através de um celular de tela quebrada.

À reportagem, Edilson admitiu que também aprende muito com a filha e seu maior sonho é vê-la chegando aonde ele jamais chegou.


A história de pai e filha foi divulgada nacionalmente e emocionou milhares de espectadores. Afinal, como não se sentir tocado com tamanha dedicação, não é mesmo?

Pois é, depois de saber de todo o esforço do pai, a companhia de telecomunicação Claro doou um pacote de banda larga, notebook e um celular com acesso à internet por um ano à família, para que Edilson não precise mais enfrentar uma jornada exaustiva para ir buscar o material da filha.

Foram 21 os voluntários que se uniram à empresa para fazer doações. Edilson ganhou até uma roçadeira através do programa Conexão Voluntária, que realizou a doação à família.

Agora Nataly pode acompanhar as aulas através de uma plataforma mais completa e o paizão tem mais tempo para se dedicar aos afazeres do rancho que administra. Feliz da vida, a pequena Nataly confidenciou que o seu sonho é se tornar professora. Se depender do apoio do pai, a pequena, sem dúvida, vai ainda mais longe.

Você também se emocionou com essa história linda?

Então compartilhe-a nas suas redes sociais. E não se esqueça de deixar seu comentário abaixo.

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.