Crianças altamente sensíveis: crianças da luz, do coração

7min. de leitura

Tem sido escrito frequentemente sobre a alta sensibilidade desde que na década de 90, Elaine N. Aron mergulhou em um novo traço de personalidade. Aquela que era capaz de ver o mundo de uma perspectiva mais íntima, sensível e pessoal: a partir do coração. De dentro da pessoa.



Desde então, se organizam congressos, livros, artigos, revistas, grupos em redes sociais, e até mesmo um filme sobre o tema intitulado “Sensitive” foi realizado. Diz-se que 20% da população vive, sente e age dessa maneira, e por sua vez, procura-se a melhor maneira de educar as crianças altamente sensíveis.

“Uma grande parte dessas pessoas atingem a idade adulta sentindo-se diferente. É como se o rumor cotidiano tocasse uma melodia diferente para elas, mais doce, mais bonita, mas também triste, e que só elas podem compreender, intuir.”

Se foi a partir dos anos 90 que o mundo começou a conhecer o que chamamos de “alta sensibilidade”, então é claro que existiram milhões de pessoas que passaram a sua infância, adolescência e parte de sua maturidade sem saber por que pareciam diferentes do resto.


Atualmente, e tendo em conta a extensa informação e repercussão que impulsionam o tema da sensibilidade, é importante ser capaz de identificar as crianças com este tipo de personalidade. Educar não é fácil, mas é ainda mais complicado com uma que desde certa idade, intui-se como diferente. Nós damos algumas estratégias simples para lidar com isso.

Identificar as crianças altamente sensíveis

Para alguns pais pode ser complicado, “elas reclamam muito, se queixam muito”. No entanto, em uma sala de aula, uma criança altamente sensível não chama a atenção, não é problemática e nem precisa passar por um teste para reconhecer a sua capacidade, intuição, e sensibilidade.

“A alta sensibilidade não se encaixa também nas sociedades modernas. Ela não gosta de competir, não gosta do imediatismo ou o rumor das massas. As crianças altamente sensíveis gostam de brincar com as estrelas, meditar com música, caminhar na solidão …”


É tarefa dos pais e mães reconhecer as características de alta sensibilidade em seus filhos. Não buscamos corrigir seu comportamento ou “normalizá-lo”. De forma alguma. Mas, pelo menos, ajudar a identificar e compreendê-los.

É necessário reconhece-los para oferecer diretrizes, para que saibam o que causa essas inconsistências que sentem no cotidiano. Verá, por exemplo, que elas são muito mais maduras do que os amigos, e que o mundo às vezes parece fora de sintonia e guiado por um egoísmo extremo.

Temos de guiar, atender, comunicar, escutar, transmitir o nosso apoio e calor … Mas primeiro é importante identificar as crianças altamente sensíveis e quais são as características que as definem. Veja como.

  • Alta sensibilidade também se traduz em sensibilidade física. O seu limiar de dor é menor, até o farfalhar das roupas pode prejudicar uma criança. Quando bebês, muitas vezes choram muito ao escutar ruídos altos.
  • Elas são crianças muito maduras, e isso é visto na profundidade de suas perguntas
  • Elas sentem o humor dos adultos. Se concentram nas expressões, gestos ..
  • Esta maturidade pessoal faz com que se sintam diferentes de seus colegas de classe
  • Ela é atenta aos detalhes da vida cotidiana
  • Temos de ser claros: ser altamente sensível não significa ser introvertido
  • Elas gostam de estar sozinhas
  • Têm paixão pela música, arte, natureza
  • Estão interessadas ​​em questões sociais
  • São facilmente feridas, qualquer palavra ou gesto as afeta gravemente

3 pilares educativos nas crianças altamente sensíveis

Ser diferente é uma arma de poder

Não devemos transformar uma criança, muito menos quando tentar “normalizá-la”. Temos de aceitar as suas características e fazê-la ver que sentir a vida com essa intensidade não é uma vergonha, mas um dom. O mundo tem nuances únicas que só ela consegue ver. Faça-a ver que o mundo é um lugar seguro. Se ela se sentir bem consigo mesma, sua vida brilhará, porque é especial e forte o suficiente para lidar com a adversidade.


Fortaleça sua autoestima

Confie nela, dê autonomia através de reforço positivo e validação. Provar a sua capacidade pode permitir que você faça qualquer coisa. Desenvolva seu senso de autoconfiança.


Prepare-as para adversidades

Sabemos que são apenas crianças, mas também sabemos que elas percebem muito mais do que o resto. Elas sentem o desprezo, egoísmo, silêncios e maus gestos. Isso é algo que terá que trabalhar todos os dias, e nós podemos fazer  isso através da Inteligência Emocional:

  • Se os outros não agem como eu, não significa que não me amem ou aceitem. São apenas diferentes, nem melhores nem piores.
  • É importante aprender a gerir a frustração, tristeza, decepção. Ao longo de sua vida você vai experimentar mais de uma decepção, sofrer, e todas essas emoções juntas. É importante aprender o mais rápido possível a gerenciar essas dimensões.

“Quando as crianças altamente sensíveis descobrem seu verdadeiro eu, o equilíbrio chega diariamente em suas vidas. Então, serão pessoas verdadeiras, maduras e felizes, que vivem a vida a partir do coração. Terão sua própria luz.”

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.