publicidade

Dinheiro e bens materiais não trazem felicidade, alerta médico milionário antes de falecer

Ao descobrir um câncer terminal, o Dr. Richard Teo Siang fez uma forte reflexão sobre como a busca por riqueza não traz felicidade.



Somos acostumados a enxergar a felicidade como sinônimo de acúmulo de bens materiais. A realização pessoal está sempre sendo vista em conjunto com o dinheiro. Nossa sociedade vende a imagem de que uma pessoa realizada deve ser bem-sucedida, rica, com valores altos na conta e muitas viagens para lugares caros.

Passamos a vida achando que o sucesso só é conquistado quando o patamar financeiro atinge níveis altos.

Como se o caminho para a satisfação sempre fosse através do dinheiro. E, com esse pensamento tóxico, contaminamos a alma e deixamos de viver a vida, pois passamos a nos preocupar com coisas pequenas, deixamos de lado a família, o tempo com os filhos, pais, avós, em busca de um sonho que, no fim, não nos trará a verdadeira felicidade.

Infelizmente, algumas pessoas precisam passar por situações muito tristes para entender a lição. A vida acaba ensinando de forma dura o que realmente vale a pena. Essa história é uma prova de que dinheiro não pode ser a base de nossa jornada.

Dr. Richard Teo Keng Siang era o exemplo clássico do ser humano que deu certo em sua caminhada, de acordo com o padrão social. Era milionário, detentor de carros sofisticados e dono de um estilo de vida caro. Com trinta anos, já acumulava uma fortuna, da qual desfrutou apenas por dez anos.


Direitos autorais: reprodução/Postjung.

Formado em Medicina, decidiu ir pelo caminho que o levaria ao sucesso e ao dinheiro mais rapidamente. Tinha planos de se tornar oftalmologista, mas preferiu abandonar essa vontade e dedicar-se à especialidade estética. Abriu então a própria clínica de cirurgia plástica. Com isso, em seu primeiro ano, ele arrecadou milhões de dólares.

Dr. Richard contou toda a sua história em um vídeo que circula nas redes sociais. Nele, o médico afirmou que sempre teve a impressão de que, para ser feliz, era necessário sucesso e muito dinheiro. Levou esse lema para a vida. Mal sabia que pagaria o preço com a saúde.


Quando descobriu que as dores em suas costas eram consequência de um câncer em estágio avançadíssimo, a perspectiva de sua caminhada começou a mudar. Passou a encarar a morte e com isso percebeu que não existia alegria em seus bens materiais. E começou a fazer discursos para grupos de várias pessoas, contando sua história e incentivando os demais a não buscarem apenas a riqueza como meta de sucesso.

Diante de seu sofrimento, o médico decidiu escutar sua voz interior e aceitar sua condição. Ele precisou passar por tudo para aprender que a felicidade não está no dinheiro que se acumula e passou a ajudar outras pessoas, conscientizando-as sobre o real e mais importante valor que devemos buscar.

Ele não queria que os demais precisassem passar por um diagnóstico terminal para descobrir de onde realmente vem a felicidade.

Possuir fama, sucesso e dinheiro não é ruim, mas isso não pode controlar a sua vida pois, no fim dela, os bens materiais não ajudarão em nada.

Seus discursos ganharam força e ele continuou dando palestras até morrer, em 2012, com apenas 40 anos. A lição perdura até os dias de hoje e o que fica para todos nós é a certeza de que todo o dinheiro do mundo não é capaz de comprar a felicidade.

Tire um tempo precioso para ficar ao lado dos que ama, pois riqueza material não é sinônimo de alegria!

O que achou desta reflexão?

Comente e compartilhe com seus amigos em suas redes sociais!

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.