Pare de buscar o relacionamento perfeito e comece a aprender como amar

5min. de leitura

Pegue qualquer revista ou coloque em qualquer programa de notícias de entretenimento e não vai demorar um minuto para ouvir sobre as últimas separações de celebridades. Gosto de ouvir os psicólogos de poltrona escolher tentarem descobrir as razões pelas quais esses casais se separaram. Enquanto grande parte da vida das celebridades parece não se relacionar com nossa própria existência diária, é um tema que quase sempre emerge e eu acho que a maioria de nós pode se relacionar com isso – a pressão que esses casais sentem de viver de acordo com um padrão irrealista e seu impacto sobre seus relacionamentos.



Claramente, a maioria de nós não está sendo fotografada diariamente ou tendo cada movimento questionado, mas as celebridades não são as únicas pessoas que enfrentam pressão para serem perfeitas. Vivemos em uma sociedade que sustenta continuamente expectativas irrealistas e inúteis de como um “bom” relacionamento deve ser.

Na verdade, antes de acabarem, muitos desses romances de Hollywood são apontados como exemplos, relacionamentos inspiradores e um tipo de vida que devemos nos esforçar para ter. Pessoas bonitas, sorrindo brilhantemente, em locais exóticos ou em datas românticas são colocadas em exposição para nós como um lembrete visual de como o “relacionamento perfeito” é. E para aqueles de nós “pés no chão” o suficiente para perceber que nossas vidas nunca vão envolver jantares em Paris ou férias de um mês com três babás, há a pressão mais sutil que nos rodeia.

Nós olhamos para os nossos vizinhos e colegas de trabalho e parece que eles têm o casamento perfeito. Eles sempre parecem felizes, ou se discordam, são desentendimentos leves. Porque nós raramente compartilhamos o tumulto interior de nossa vida familiar com qualquer pessoa (incluindo a família), passamos muitas vezes uma imagem irrealista de um bom casamento, no qual tudo é maravilhoso.


A verdade é que o casamento, ou qualquer relação de compromisso a longo prazo, é ao mesmo tempo terrível e maravilhosa a maior parte do tempo. E mesmo quando aceitamos que haverá desafios, muitos de nós nos apegamos à ideia de que se apenas resistirmos a essas tempestades, em algum momento nosso relacionamento vai se tornar perfeito. E assim que chegarmos a esta perfeição, poderemos parar de trabalharmos para as coisas, pararmos de tentar tão duro fazermos as coisas certas. E depois de anos de altos e baixos, muitos casais começam a ficar cansados ​​de trabalhar em direção a um objetivo que parece nunca chegar mais perto.

A questão é que eles estão trabalhando para o objetivo errado. Um bom relacionamento nunca fica pronto; ele sempre vai ser um trabalho em andamento, em vez de um projeto perfeitamente acabado.

O objetivo é sempre se mover na direção do ideal, aceitando que a alegria está no processo. Um relacionamento “perfeito” simplesmente não existe, mas não há problema em se mover na direção de um amor “perfeito”. Em seu livro Being Peace, Thich Nhat Hanh diz: “Se eu perder minha direção, tenho que olhar para a Estrela do Norte, e ir para o norte. Mas isso não significa que devo esperar chegar à Estrela do Norte.”


É assim que temos de aprender a ver as nossas relações, não como um trabalho penoso que devemos suportar para que um dia atinjamos essa perfeição relacional, mas como um caminho comum em direção a um amor ideal que atenda nossas necessidades, na maioria do tempo. Nenhum relacionamento vai atender às necessidades de ambos os parceiros perfeitamente, mas nós podemos escolher nos movermos de forma consistente na direção deste relacionamento tranquilo. E quanto mais seguirmos esse caminho, mais claramente vamos começar a ver que a parte mais maravilhosa do casamento está em compartilhar a jornada juntos, não o destino final.

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: Mind Body Green

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.