2min. de leitura

Pessoas vão, memórias não.

Acredito que uma das coisas mais bonitas do universo seja a forma como ele flui.


Pessoas chegam outras partem em um movimento que aprendi a admirar com o passar dos anos.

Esse movimento me faz lembrar a onda do mar que em sua sabedoria trás a água para dentro de si para criação de uma nova forma e após o espetáculo com tranquilidade inicia um novo ciclo.

As relações também são assim as pessoas se encontram ao longo das rotinas repetitivas e se transformam ao longo dessas experiências.

Cada momento deixa uma marca como se fosse uma medalha no quadro de recordações.


Nunca se sabe quando será o encontro ou o momento exato da partida.

O que torna esse movimento constante da vida fantástico é perceber que as memórias são capazes de eternizar as pessoas.

A única opção é permitir-se viver, deixando as pessoas livres.

Vivemos em um planeta de abundância onde existe amor para todos.


Troque possíveis desrespeitos futuros pela coragem dizer o que não se sente.

Liberte-se para que novas possibilidades aconteçam.  Se o medo bater em sua porta, respire logo ele passa.

É preciso permitir que aconteça para que possamos construir memórias e eternizar pessoas, porém não tente controlar a inteligência superior que rege o universo, congelando sua vida em um instante único.

Lembre-se só permaneça onde existe reciprocidade e que seja eterno enquanto te faça bem.


Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.