Quanto mais eu aprendo a me amar, mais me desapego da necessidade de ser amado por outras pessoas

4min. de leitura

O amor-próprio é um sentimento transformador.



Não é à toa que passamos a vida toda ouvindo que precisamos aprender a amar a nós mesmos, em primeiro lugar, porque todo amor verdadeiro começa dentro de cada um.

Através do amor-próprio, nós nos libertamos de muitos vícios negativos, e um dos principais é aquele que faz com que imploremos pelo amor, carinho ou atenção de outras pessoas.

Muitas vezes, podemos nos encontrar insistindo demais em alguma amizade ou romance, mesmo quando a outra pessoa já demonstrou, de diversas maneiras, não ter interesse em nos ter ao seu lado.


Perdemos o autorrespeito e comprometemos a nossa dignidade pelas migalhas de atenção e afeto de pessoas que não se importam conosco, e perdemos a oportunidade de construir conexões positivas com aqueles que realmente desejam estar ao nosso lado.

Os efeitos da falta de amor-próprio na vida de uma pessoa podem ser muito graves, e podem levar à depressão, à ansiedade e à diminuição do próprio valor.

Uma pessoa que não se ama é incapaz de enxergar as suas qualidades, capacidades e potenciais. Ela pensa que não é suficiente, por isso está a todo momento em busca de alguém que a complete e a faça sentir-se valiosa.

Essa busca pode parecer compensadora, em alguns momentos, quando conseguimos uma companhia, mas só quem vive essa realidade sabe o quanto é difícil estar sozinho, porque não conseguimos apreciar nada em nós mesmos, e sem alguém para nos elogiar, é como se tudo em nós fosse defeituoso.


Viver dessa maneira é completamente limitante. É realmente muito difícil e nada saudável viver dependendo dos outros para gostar de si mesmo. Todas as nossas companhias nessa vida são temporárias, e as pessoas nem sempre serão gentis e amorosas conosco, por isso confiar nelas para manter nossa saúde mental e emocional em dia é uma grande enganação.

Precisamos trabalhar em nós mesmos para que sejamos os primeiros a amar e valorizar nossa companhia.

Buscar a atenção de alguém e curar as feridas que existem em nosso interior para restaurar a harmonia com nós mesmos, na maioria das vezes, dá o mesmo trabalho e, nesse sentido, devemos sempre escolher a nós mesmos, em primeiro lugar.

Quanto mais mergulhamos em nós mesmos e descobrimos as coisas boas que temos guardadas em nós, menos sentimos a necessidade de implorar por amor e atenção, porque percebemos que somos suficientes e podemos ser felizes de verdade em nossa própria companhia.

Quando o amor-próprio torna-se uma parte de nossa vida, não sofremos mais por aqueles que não nos querem por perto, apenas agradecemos o livramento e seguimos em busca de companhias melhores.

Amar a nós mesmos é libertador, permite-nos eliminar os muros que nos isolam do mundo e encontrar um novo caminho, onde somos a nossa melhor companhia e estamos sempre bem, independentemente daqueles que escolhem partir.

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais da imagem de capa: Chermiti Mohamed/Pexels.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.