4 convicções pessoais das quais você nunca deve abrir mão em um relacionamento

4min. de leitura

Você não deve se anular, deixar de lado suas convicções e vontades pessoais, só porque está num relacionamento.



Quando duas pessoas decidem ter um relacionamento amoroso, é natural que passem muito mais tempos juntas. Consequentemente, é primordial que haja maturidade do casal para entender que, a partir desse momento, as decisões que afetarão a vida a dois devem ser tomadas em conjunto.

As duas pessoas devem aprender a ceder e sempre chegar a um consenso sobre o que é melhor para o casal e não apenas para um deles. Mas essa regra não vale para todas as situações da vida conjugal, pois cada um de nós tem hábitos, sonhos e até mesmo manias que jamais devem ser anulados, só porque uma pessoa não está mais solteira.

É importante também termos um momento para ficar sozinhos, pensar na vida e nas nossas decisões, mesmo estando em um relacionamento. Ou seja, existem “direitos” pessoais que nunca devemos sacrificar em um relacionamento, pois eles fazem parte do que nos torna únicos.


Que tal descobrir quais são eles? Confira a seguir os quatro hábitos de que você nunca deve abrir mão, mesmo se estiver namorando ou casado.

1. Direito de opinar

A sua opinião também é importante numa relação. Não deixe que seu parceiro decida os móveis da casa de vocês, convide alguém para um jantar ou programe um compromisso, sem perguntar o que você acha. Mesmo que alguém seja movido apenas por boas intenções, tomar decisões sérias sem a sua participação sugere que essa pessoa esteja tentando controlá-lo.


2. Um tempo para você

Relacionamento não é sinônimo de dependência, um casal não deve ficar “grudado” um no outro 24 horas por dia. Tire um tempo para você mesmo, fique sozinho, leia um livro, estude, vá à casa de uns amigos. Não abra mão da sua liberdade, mesmo estando em um relacionamento.


Num relacionamento saudável, ambos os parceiros devem compreender a necessidade de um tempo pessoal que cada um deve ter para aliviar o estresse. Passar algum tempo separadamente um do outro é bastante normal.


3. Direito à privacidade

Estar namorando alguém não significa que, necessariamente, essa pessoa deve ter acesso livre ao seu celular, aos seus e-mails ou qualquer outra conta pessoal. Ninguém tem o direito de invadir a privacidade de outra pessoa, mesmo que ela seja um namorado, marido ou esposa.


4. Suas crenças religiosas

O casal não precisa ter a mesma religião, e ambos têm de respeitar esse fato. Não há mal nenhum em convidar o parceiro para ir à sua igreja, por exemplo, mesmo que ele siga outra crença. Contudo, tentar mudar a concepção dele, sem que ele queira, é completamente errado. Também não cabe a um parceiro ficar criticando as concepções religiosas do outro, nesses casos, o que deve haver é o respeito mútuo acima de tudo.

Se você concorda com essas opiniões, diga-nos nos comentários e compartilhe-as nas suas redes sociais.

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.