publicidade

7 atitudes que ajudarão a encontrar o amor da sua vida quando você menos espera!

Coincidência? Sorte? Entenda como um amor repentino pode acontecer!



Com certeza, você já ouviu várias histórias de mulheres que namoraram por anos e, após o término, não estavam procurando ninguém e o improvável aconteceu: encontraram a alma gêmea e quase que instantaneamente se casaram! Ou então, alguma conhecida que estava em outra fase da vida, com outros objetivos, focando na carreira profissional quando, de repente, alguém, de forma avassaladora, entrou em sua vida como num passe de mágica! Esses casos são comuns e, por várias vezes, nós nos perguntamos como algo pode acontecer assim, tão despretensiosamente?

O amor é inerente a todas as pessoas. Esse incrível sentimento nos ronda o tempo inteiro. Vemos o amor em atitudes gentis do dia a dia, e o enxergamos traduzido num cuidado, aceno, sorriso. O amor não é carnal. Ele flui de pessoa para pessoa, em todos os ambientes. Porém, devido à nossa correria, deixamos de enxergá-lo, e com isso nos vem a falsa sensação de que conhecer alguém foi “do nada”.

Não foi. O amor mora no simples. E o simples vai se tornando banal à medida que passamos por ele. Só o enxergamos novamente quando as coincidências acontecem.

Será que é apenas sorte? Venha entender as razões que fazem o amor acontecer repentinamente!


1. Estar disposto

Mesmo que não esteja procurando no momento, imaginar-se numa relação bonita, em que os valores são fundamentais para o sucesso, entender que é através do esforço que se consegue atingir as metas pessoais, aprender que o outro também é passível de erro e acerto, automaticamente a disposição se eleva. Estar disposto a encarar uma vida amorosa, mesmo não tendo uma, faz com que a vibração energética flua, e com isso a tendência em aparecer pessoas na mesma sintonia aumenta consideravelmente!


2. Estar relaxado

Viver com o freio de mão puxado não é bom para ninguém. Existem situações que necessitam que nosso alerta esteja ligado, mas não o tempo inteiro. Quando as pessoas relaxam, elas deixam entrar o novo; a tensão nos fecha para os sentimentos bons. A calmaria permite que as coisas se encaixem perfeitamente.



3. Não ficar obcecado

Não confunda com persistência. Uma pessoa obstinada é sábia, sabe a hora de continuar ou de parar. A obsessão nunca foi boa em nenhuma área, pois ultrapassa os limites que nós mesmos determinamos. Há uma grande diferença entre querer a todo custo uma relação e querer um relacionamento quando estiver pronta para aceitá-lo. Pessoas obcecadas não se colocam no lugar do outro, preocupam-se apenas consigo mesmas, e esse comportamento contamina a alma.


4. Não nutrir expectativas demais

Pintar uma imagem de pessoa ideal não é o problema. O que não dá certo é achar que esse será o padrão e você só irá se relacionar se for dessa maneira. Ao criar expectativas exageradas, colocamos em nosso subconsciente que a outra pessoa não pode ser menos do que imaginamos, sempre mais e mais. E aí a frustração vem. Não tem como dar certo dessa forma. Entenda que, assim como você, a outra parte não é destinada a suprir todas as suas necessidades. Não use o amor como dependência.


5. Assumir seus erros

Não há coisa pior do que colocar a culpa de todas as suas atitudes no outro. Se você tenta justificar seus erros por causa do comportamento de outra pessoa, pare já! É impossível conseguir ficar numa relação na qual apenas o erro do parceiro é o problema. Esse comportamento não é apenas em relações amorosas. Quem tem o costume de ser honesto e dizer onde errou, e tentar reparar, com certeza tem mais chance de alcançar um amor verdadeiro.


6. Escolher a felicidade

Viver de forma mais leve, não se culpando e não insistindo em algo que no fundo sabe que não é para você, são maneiras de se colocar como protagonista de sua vida. Ao escolher a felicidade, escolhe-se também a plenitude. Entender que ser feliz não significa estar em um relacionamento. A felicidade precisa vir de dentro, e não do outro. Colocar esse sentimento nas mãos de outra pessoa lhe tira do controle de sua jornada. Isso inevitavelmente atrai boas pessoas até você.


7. Não ter medo da própria companhia

Estar sozinho não é uma punição. Não é vergonhoso. Quem não suporta a própria companhia sempre vai colocar um peso muito grande na outra parte da relação. Automaticamente, vai culpar o outro por não estar conseguindo se completar. Para usufruir do amor, é necessário se amar primeiro. Você é a sua fonte inesgotável desse sentimento. A outra parte vem para transbordar. Aprendendo a gostar de si mesma fora de um relacionamento é o caminho para deixar entrar um amor de verdade.

O que achou deste texto? Conhece alguém com essas características?

Comente e compartilhe-o com seus amigos em suas redes sociais!

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.