4min. de leitura

O amor não é sobre buscar a perfeição, é sobre encontrar algo real.

Estou cansada do namoro contemporâneo – rápido, fácil, conveniente, deslize para a esquerda, deslize para a direita.



Nós julgamos o caráter de alguém por uma imagem em uma tela de quatro polegadas./

Nós pulamos de pessoa para pessoa, nunca satisfeitos. Nós compramos a cultura de conexão, pensando que as pessoas só nos querem pelos nossos corpos, pelo que podemos dar.

Então, nós doamos e doamos, e acabamos vazios.


Nós não sabemos mais como amar. Pensamos que o amor é retornar mensagens de texto, beijos românticos, um pouco de esforço e alguém que não tenta dormir conosco no primeiro encontro.

Nós pulamos as borboletas no estômagos, o nervoso antes dos jantares e os momentos difíceis de indecisão. Nós não conhecemos as pessoas realmente. Não sabemos como seus narizes se enrugam quando riem, o que as faz disparar, como gostam de seus ovos ou suas citações favoritas.

Nós não tomamos tempo para entender o funcionamento interno das mentes uns dos outros, as peculiaridades, as interações que tornam o relacionamento realmente especial.

Nós vemos os corpos, antes de conhecermos os corações. Então, freneticamente, trabalhamos para trás, tentando compensar tudo o que perdemos.


O namoro tornou-se este terreno para navegar. E o amor é esta coisa glorificada, na qual caímos por acidente.

Supostamente devemos eliminar pessoas que não são compatíveis e que não procuram as mesmas coisas, e, de alguma forma, em toda essa bagunça, devemos encontrar “a única”. Esse amante que nos completará, encaixar-se-á de todas as maneiras certas.

Mas o amor não é assim.

Não há homem ou mulher mágicos que nos complete, cujo coração entrelaçar-se-á completamente com o nosso, sem conflito ou dúvida. Nós não encontramos essa pessoa, não existe uma pessoa perfeita.

As pessoas são erradas e difíceis. Mesmo na pessoa mais maravilhosa, haverá discordâncias. Nossos relacionamentos ainda serão desafiadores, frustrantes e francamente difíceis. Portanto, não podemos esperar esse ideal, porque afastar-nos-á, ficaremos desejando algo que nunca encontraremos.

Precisamos nos desapegar da ideia de que existe um “Sr. / Senhorita Certos” lá fora.

Precisamos deixar de focar nas falhas dos outros. Precisamos parar de ver as pessoas como obstáculos para o nosso “único amor verdadeiro”. E precisamos parar de nos entregar a pessoas que não nos merecem, apenas porque estamos tentando desesperadamente nos apaixonar.

O amor não é encontrado na tela do celular ou numa pequena conversa em um encontro. Não se encontra saltando de pessoa para pessoa.

Não se encontra perseguindo a perfeição. Porque a perfeição não é real.

Amor e perfeição são duas coisas diferentes. Amor é real. Encontrar alguém que o deixará louco, mas ainda assim tornará sua vida maravilhosa – isso é real. Aprender os medos internos de alguém, descobrir o que o faz rir, finalmente desenvolver a coragem para beijá-lo – isso é real.

É assim que o namoro e amor devem ser: encontrar uma pessoa cuja mente e coração se conectem com os seus de maneiras estranhas, divertidas, novas e imperfeitas.

Encontrar algo real. Algo bonito, em vez de perfeito.

_____

Traduzido pela equipe de O Segredo  Fonte: Thought Catalo

Você sabia que O Amor está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.