Para se ver de verdade, você tem que fechar os olhos.

5min. de leitura

Conta-se a história de uma garota que nasceu em um mundo de espelhos, aqueles espelhos de circo que refletem sua imagem de maneiras diferentes.



A garota cresceu muito confusa porque enquanto um espelho mostrava seu reflexo magro, outro lhe mostrava gordo. Às vezes muito alta e em outro momento muito baixa.

A menina sentia-se confusa porque dependendo do espelho para qual olhasse, seu nariz e orelhas eram muito grandes ou muito pequenos, seus olhos esbugalhados ou quase inexistentes.

A menina não entendia porque em alguns espelhos, seu nariz e orelhas eram tão grandes e em outros tão pequenos! Seus olhos apareciam esbugalhados em um espelho, mas em outro como olhos de japonês.


PARA SE VER DE VERDADE - FOTO DE CAPA E FOTO01

E sua cabeça? Às vezes era maior que o corpo, mas quando olhava para o espelho do lado, seu corpo era maior que sua cabeça!

Por um tempo, ela acreditou no que via, viveu conformada em ser gorda e magra, alta e baixa, pequena e grande, forte e fraca… Mas com o tempo, ela também foi amadurecendo e começou a desconfiar que a imagem nos espelhos não refletia quem ela era de verdade.


Um dia ela descobriu que espelhos são apenas espelhos e na maioria das vezes, só distorcem nossa imagem e que a depender do seu estado de espirito, se triste ou alegre, o espelho apenas mostraria como ela estava se vendo por dentro.
PARA SE VER DE VERDADE - FOTO 02

Então, ela tomou uma decisão! Parou de ser menina e se tornou uma jovem mulher. Quando queria se ver, fechava os olhos e olhava para dentro de si, não mais para os espelhos porque eles costumam mentir.

A jovem tinha consciência do tamanho do seu nariz, da sua cabeça, dos seus seios, as formas do seu corpo e se amava, se achava linda da maneira que era. Sabia o que precisava melhorar em sua vida e isso lhe deixava ainda mais feliz.

Ela se via tão bela quando olhava para dentro de si, que tudo por fora começou a melhorar, parecia que a beleza lhe acompanhava por onde fosse. Até mesmo pessoas feias se sentiam bonitas perto dela.

Os homens apreciavam sua companhia e no trabalho, seus colegas queriam ficar próximos a ela porque o ambiente em que ela entrava se tornava mais bonito, alegre e fácil de trabalhar.

Quem diria! A garota que nasceu em um mundo de espelhos, aprendeu que dar crédito ao que vê neles pode ser uma armadilha e que a imagem que importa realmente é a autoimagem, a maneira como ela quer se ver.

Isso faz sentido para você? Nós nascemos em um mundo de espelhos, isto é, conceitos externos ao nosso respeito. Há quem nos ache feios e quem nos ache bonitos, gordos ou magros, grandes ou pequenos.

PARA SE VER DE VERDADE =- FOTO 03

As nossas próprias experiências também refletem algo sobre nós, às vezes um reflexo muito distorcido, como por exemplo, é o caso da pessoa foi demitida e por isso se vê como uma fracassada, incompetente, sem recursos.

É claro que se você for construir sua autoimagem a partir das coisas que não deram certo em sua vida, jamais conseguirá ver-se com otimismo e esperança, mas se você considerar os maus momentos como aprendizados e trabalhar para ampliar tudo que há de bom em você, certamente construirá uma autoimagem de sucesso!

Na hipnoterapia, as pessoas costumam vir até nós com sua autoimagem deformada por aquilo que veem através de suas experiências traumáticas, é por isso que não conseguem ser confiantes e ter uma autoestima saudável.

Quando elas fecham os olhos para o mundo externo, podemos mostrar-lhes a beleza que existe dentro delas, uma verdadeira fonte inesgotável de recursos que se usados corretamente, lhes garantirão o sucesso em todas as áreas da vida!

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.